Políticos as eleições, Votar livremente e participar activamente da democracia, Vote for Change, Referendo on-line
left right

Biografia Indio da Costa

> Brasil > Os políticos > Indio da Costa
Indio da Costa Indio da Costa
Indio da Costa
Um empresário, advogado, político e fundador do PSD. | Brazilian lawyer and politician in the Brazilian Democrats Party (DEM).
email

DESCRIÇÃO DO CANDIDATO: 

Indio da Costa Biografia

POR:

 

Antonio Pedro Indio da Costa (Rio de Janeiro, 20 de outubro de 1970) é empresário, advogado e político brasileiro fundador do PSD. Em 2010 foi o relator da Lei Ficha Limpa e candidato à vice-presidência do Brasil na chapa de José Serra.

 

Carreira política

Indio entrou na política em 1992 quando mobilizou a juventude carioca na campanha do candidato Cesar Maia a prefeito do Rio. Em 1995 filiou-se ao PFL e participou do governo de Cesar Maia na prefeitura do Rio de Janeiro. Foi também vereador no Rio de Janeiro entre 1997 e 2007. Após passagem pelo PTB entre 1999 e 2001, retornou ao PFL, e participou da sua transição para Democratas (DEM). Em 2011, participou da fundação do novo Partido Social Democrático, liderado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

 

Indio da Costa foi acusado, numa CPI da Câmara Municipal, de defender um cartel na compra de merendas de escolas públicas. A relatora da CPI foi a vereadora carioca Andrea Gouvêia Vieira. O Tribunal de Contas do Município do Rio e o Ministério Público Estadual fluminense concluíram que não houve irregularidade alguma. AO contrário, que Indio havia quebrado um cartel que operava há décadas na prefeitura do Rio. Indio da Costa assumiu a Secretaria Municipal de Administração da cidade em dois períodos: de agosto de 2001 a abril de 2003 e de janeiro de 2005 a abril de 2006. Em 2000, ele acompanhou a campanha de Michael Bloomberg à prefeitura de Nova Iorque, nos EUA, com o estrategista político Arick Brice Wierson.

 

Em 2006, foi eleito deputado federal, assumindo o cargo no ano seguinte. Na Câmara dos Deputados, ganhou projeção pelo trabalho de investigação dos gastos do governo na CPMI dos Cartões Corporativos e por ter sido um dos relatores do Projeto Ficha Limpa.

 

Candidatura à Vice-Presidência do Brasil

Em 30 de junho de 2010, Indio da Costa foi escolhido pelo candidato à presidência José Serra para compor sua chapa como vice-presidente. Indio da Costa e Serra tinham pouca intimidade antes da indicação, e conversaram pessoalmente uma vez até então, por 15 minutos. Serra elogiou o deputado carioca, chamando-o de "um jovem de ideias modernas". Sua indicação facilitou a formação da aliança entre o PSDB e o DEM nas eleições, e foi aventada pelo DEM como resposta à proposta feita pelos líderes do PSDB, de candidatar o senador tucano Álvaro Dias para a vice-presidência nas eleições de 2010.

 

Na fase inicial da campanha eleitoral, em julho, Indio da Costa provocou polêmica ao afirmar "Todo mundo sabe que o PT é ligado às Farc, ligado ao narcotráfico, ligado ao que há de pior. Não tenho dúvida nenhuma disso". Posteriormente o candidato reafirmou em parte o que havia dito: "PT não faz narcotráfico. As Farc, sim."

 

fonte

 

 

ENG:

 

Antônio Pedro de Siqueira Indio da Costa (aka Indio da Costa) (born October 20, 1970) is a Brazilian lawyer and politician in the Brazilian Democrats Party (DEM). On June 30, 2010, it was announced that da Costa had been chosen as the Vice Presidential running mate by leading Presidential candidate José Serra of the PSDB party.

 

Political career

Indio da Costa entered politics in 1996 as part of the center-right PFL Party PFL. He later joined the administration of Rio de Janeiro mayor Cesar Maia, busying himself with managing the Aterro do Flamengo gardens first and later as Secretary of Administration (i.e. as comptroller for all matters regarding personnel and public purchases) . Da Costa was elected to the Rio de Janeiro City Council in 1997, where he stayed for three terms, until 2007. As councilman, he was investigated by an inquiry commission of the same council for suspects of overpriced contracting of catering services for Rio's public schools during his earlier spell as secretary, such charges being eventually dismissed. While at the city council, he presented a polemical bill that proposed to forbid almsgiving in the city of Rio de Janeiro, subjecting it to a fine - a bill that was rejected out of hand by the city council as unconstitutional. Between 1999 and 2001, Da Costa was affiliated with the center-left PTB Party. In 2001, he returned to the PFL, which had rebranded itself as the Democrat Party (Democratas or DEM, as it is known today.)

 

In 2000, Da Costa spent several weeks in New York City working inside a major election operation in the United States to get acquainted with tactics and technology used in the mayoral campaign of Michael R. Bloomberg. Da Costa worked alongside Arick Wierson who was heading Bloomberg's field operations. Da Costa later announced that he had earlier implemented many of the Bloomberg's management tactics while he was Secretary for Administration in the Maia mayoralty.

 

In 2006, Da Costa was elected as a Brazilian Federal Deputy (Congressman) and on June 30, 2010, was chosen as the running mate to Presidential candidate José Serra. - in what was seem as a move pressed on Serra by the DEM leadership, as Serra tended to favour a "pure-blooded" PSDB ticket As vice-presidential candidate, he made himself noticed mostly by his declarations accusing the Workers' Party of connections with the FARC and international drug dealing, something that earned him the nickname of "Serra['s] Palin".

 

After the results of the 2010 election, which by the popular vote elected Dilma Roussef as Brazil's first female president, Indio da Costa parted from his former political party "DEM" to become one of the founders of the PSD "Social Democrats Party" along with the current Mayor of São Paulo, Gilberto Kassab.

 

source

November 8, 2010

updated: 2013-01-30

icon Indio da Costa
icon Indio da Costa

Não ElectionsMeter é responsável pelo conteúdo do argumentos. Por favor consulte sempre o usuário ou autor do argumento. Todos os argumentos ou qualquer texto publicado na electionsMeter deve incluir o nome original do autor e as referências à fonte original do texto. Os usuários são obrigados a seguir a lei de direitos autorais. Por favor, leia com atenção as regras do uso do site. Se o texto contém um erro, informações incorrectas, que pretende corrigi-lo, ou mesmo que você gostaria de sarna integralmente o conteúdo do perfil, entre em contato conosco. entre em contato conosco..

 
load menu